Sunday, October 16, 2005

A questão é: Qual o futuro da ecologia política em PORTUGAL?

Primeiro vamos então tentar saber o que quer dizer ecologia politíca e fazer um pouco de história:
O que é Ecologia Política?

A expressão eco e ecologia é usada de uma maneira de tal modo desgarrada e sem critério, que me leva já a supor a visão redutora e muitas vezes caricatural que uma grande parte da opinião pública tem da ecologia. Agora quando se acrescenta a palavra política, a idéia que o comum dos cidadãos tem da ecologia passa por uma mudança: o desinteresse, a desconfiança ou um paternalismo que se atribui a uma moda que se acha passageira, transforma-se em curiosidade, franzir de sobrolho ou até perplexidade e soltam-se comentários do estilo: "O que é que esses gajos ( os políticos ) andam a tramar desta vez?
Não há dúvida de que a ecologia política, pelo menos aos olhos da opinião pública, ainda não adquiriu o estatuto de noção clara e distinta. O que é então ecologia? E ecologia política?


A palavra aparece na segunda metade do século XIX. Termo utilizado pela Biologia, em sua origem, a Ecologia é uma disciplina científica, e "É a ciência que estuda a relação triangular entre indivíduos de uma espécie, a actividade organizada desta espécie e o meio ambiente, que é, ao mesmo tempo, condição e producto da actividade, portanto condição de vida daquela espécie".


Aplicada aos homens, a ecologia é o estudo da relação da humanidade com o meio ambiente, isto é, da maneira como se transformam mutuamente e de como o meio ambiente permite que a humanidade viva.

Já sabemos todos e ouvimo-lo constantemente na comunicação social, os cientistas a falar das desgraças que aí vêm ( não haja duvida que virão...), os tsunamis e os furacões e como somos responsáveis por eles, devido ao modo como estamos TODOS ( eu também...) a aquecer esta bola única no negro espaço, as galinhas e as suas gripes, as vacas com as suas loucuras, os outros frangos com dioxinas, o que comemos está contaminado, o que bebemos, o que respiramos...Tudo isso é a ecologia científica que quantifica e explana e deixa sempre no ar que... que o quê?? Que temos que agir...Nós quem?? eu, o zé tuga?? Eu é que tenho de pensar em que medida a nossa organização social, a maneira como produzimos e consumimos, modifica o meio ambiente? Eu?? eu estou preocupado com a conta do carro, do telemóvel, do empréstimo ao banco, aos assaltos, ao levar os putos á escola...

Então, á noite, no escuro do nosso recolhimento deveríamos pensar que: cabe-nos a nós homens, escolher o modo de desenvolvimento que desejamos, em função de valores que evoluem no curso de debates públicos. E quem é que quer saber dessa merda!?!?! O benfica ganhou, não ganhou? Já pago o IVA, o IRS, o IRC, o IMT e o XZQWC, não é?!?!?! Então não me Chateiem!!!!

No entanto e levando em consideração os desequilíbrios provocados pela actividade humana, a ecologia política passa a se interrogar acerca da modernidade e a desenvolver uma análise crítica do funcionamento das sociedades industriais.
Essa análise questiona um certo número de valores e de conceitos-chave sobre os
quais se apóia nossa cultura ocidental.

E a política? e os Políticos? e de que modo é que eu, zé tuga, que não faço a mais pequena ideia... de quase nada de realmente importante, posso influenciar os Políticos, eles é que deveriam ser sábios conduzir-nos, não era? e ter em consideração essas coisas dos passarinhos e das baleias e dos chaparros cortados... que até dão um jeitão lá para a lareira, no meu T1, com vista para a IC19, não acham?

O problema, amigo zé tuga é que os políticos e todos o sentimos nos seus discursos ocos, repetitivos, tipo cassete-carvalhas, agora cassete-jerónimo, não conseguem mudar a realidade e a realidade é que a esperança revolucionária desapareceu do horizonte, o comunismo faliu e o projecto socialista decepcionou. Portadora de grandes ambições durante todo o século, hoje a política está muito debilitada. Não há nenhum mal em que a política se torne mais modesta, entretanto sua actual impotência e seu enfraquecimento face
à economia são extremamente perniciosos. Uma sociedade sem projeto político, entregue às forças do mercado e sugada pela espiral do “produzir cada vez mais” só pode levar ao crescimento das desigualdades sociais e das crises ecológicas. É urgente, portanto, dar novamente sentido e conteúdo à política.

E é isso que o Partido da Terra deseja e quer, mas a pergunta é: e vocês? o que estariam prontos a ceder para mudar as coisas? não esquecer que somos nós os consumidaores que damos o mote para a produção... largariam o carro para ir de bicicleta para o trabalho? afinal temos pouquíssimos dias de chuva no total dos 365 dias do ano... e os detergentes? pagaríamos mais para adquirir os biodegrádaveis? tipo ecover? e a comida? pagaríamos mais agora para poupar na farmácia e no sofrimento daqui a uns anos? e retornar ás aldeias? largando os shoppings da moda?

Ora digam lá de vossa justiça...

3 Comments:

Blogger Duarte Mata said...

tens que escrever algo para depois ser comentado!

Monday, October 17, 2005 7:00:00 AM  
Blogger LoveforMovies said...

Just letting you know I enjoy reading your blog on my free time.
Come pay me a visit sometime if you want to download full length movies

Monday, October 17, 2005 11:23:00 AM  
Blogger Vasco da Gama said...

Oi Alexandre :)
faz tempo que não conversamos,
quando te for possível dá-me um toque para o telele!
o meu nº é o mesmo de sempre, caso já não o tenhas pede-o ao Quartin Graça ou ao Arruda.

Parabéns pela iniciativa com este blog tb.

Penso que há muito trabalho a fazer no blog do Partido da Terra, onde numa primeira etapa é primordial produzir informação com qualidade para ser debatida, partilhada... para numa outra etapa, numas eleições, haver suporte VISIVEL a um trabalho focalizado por parte dos rostos do MPT de então.

Desde já um grande abraço,
Carlos Malato.

Wednesday, October 19, 2005 12:09:00 PM  

Post a Comment

<< Home